CIÊNCIA DO CORAÇÃO

 

 

 

Esta é a melhor parte! Poucas pessoas sabem o que é o coração, classificando-o de “uma bomba que leva sangue ao sistema vascular” ou que nos envolve em amores impossíveis, difíceis ou outras situações enroladas. 

Nada disto! O coração possui cerca de 40.000 células neurais, o que configura a existência de um cérebro que opera e processa informações independente do cérebro craniano. Decide, aprende e tem memória.

Possui um campo eletromagnético cerca de 5.000 vezes mais intenso que o do cérebro e influencia a maneira como percebemos e sentimos o mundo, nossa realidade.

Quando existe um fluxo de energia equilibrado, harmônico e coerente entre coração e mente, conseguimos alcançar estados de tranquilidade, clareza mental, eficiência, saúde, capacidade de tomar decisões, equilíbrio emocional, alegria e criatividade.

O campo energético do coração é alimentado por emoções e são elas que nos colocam em estado de coerência ou incoerência. Administrar nossas emoções torna-se fundamental. De nada adiante termos incontáveis competências mentais, se o nosso sistema emocional está em incoerência. 

O campo energético de uma pessoa que esteja em coerência ou incoerência, é capaz de induzir outra pessoa, a uma mudança de estado. O coração processa e decodifica o que chamamos de intuição – campo energético – na interação com outras pessoas e situações.

Assim o coração, Coração Inteligente, tem enorme influência nos relacionamentos e também na cultura vigente em organizações.

As Emoções são os blocos construtores do canal que liga Mente e Coração.

Nascemos dotados de cinco sentidos físicos que são os responsáveis pela nossa interação com o mundo físico e um sentido energético, pouco explorado e renegado, que é responsável pela nossa interação com o mundo energético que nos cerca.

 

NEUROCIÊNCIA

Ao abordarmos mudança de padrões em culturas sociais ou organizacionais, consideramos também a base emocional e entramos no campo da Neurociência.

Novas descobertas demonstram que, ao contrário do que sempre pensamos, não estamos à mercê de nosso código genético e nossos neurônios tem papel fundamental nas mudanças.

O cérebro límbico registra resultados de emoções, construindo caminhos entre as células neurais, as sinapses. O córtex, parte racional e cognitiva do cérebro, é responsável por processar e articular informações, formatando uma linha de ação.

Em incoerência, não conseguimos sair do ato de Reação, porque economicamente o cérebro faz os caminhos conhecidos. Aprendendo sobre a inteligência do coração, e suas práticas, e integrando-a à mental, é possível desfazer crenças e padrões e construir novos e saudáveis caminhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *